Carreira

Mulheres, a tecnologia pode ser o próximo passo da sua carreira.

Tempo de leitura: 7 min
Mulheres na área de tecnologia
Mulheres na área de tecnologia

A importância das mulheres no mundo da tecnologia.

No mês das mulheres, vamos iniciar uma nova conversa acerca de uma temática próspera que poderia ter sido vista como igualitária há tempos. Mas infelizmente projeta um cenário, em sua maioria, masculino e que, por vezes, tem, como pano de fundo, um machismo oculto.

Como já falamos em outras postagens, a área tecnológica tem se destacado constantemente no Brasil e no mundo. Isso faz com que ela precise, cada vez mais, de profissionais para atuarem neste setor. Agora, vamos refletir:

Será que este crescimento de vagas na área de T.I está proporcional às oportunidades equivalentes para homens e mulheres ?

Amigo(a) leitor(a), a participação das mulheres, embora esteja crescente nesta área, ainda é bem abaixo do esperado, quando se pensa na masculina. Aliás, não é apenas no setor tecnológico que este olhar de desigualdade acontece.

A figura feminina, dependendo do cargo e função, ainda ganha menos que o homem, mesmo trabalhando com a mesma carga horária deles.

Para reforçar a minha fala, contextualizo uma colocação da pesquisadora da consultoria de IDados do IBGE Thais Barcellos: “Embora a diferença do rendimento médio entre gêneros venha mostrando uma tendência de redução nos últimos anos, o levantamento mostra que, quando se compara a renda da hora trabalhada entre profissionais do mesmo perfil de escolaridade […] a desigualdade permanece estagnada no patamar de 20%. No 4º trimestre de 2021, ficou em 20,3%. […] a mulher ainda ganha 20% a menos. “

Sem falar que muitas mulheres exercem o dobro das funções. Porque precisa se equilibrar entre o trabalho, ser mãe, professora, “médica”, filha, psicóloga, amiga e entre outras funções que as mulheres acabam exercendo em sua maternidade.

Percebe o quão complexas são as ações femininas exigidas pela cotidiano. Imagine ganhar menos ou nem ser contratada por causa de um pensamento que já está em desuso, ultrapassado, mas que ainda vigora: o olhar cultural machista.

Dados estatísticos, o que podemos entender?

Antes de mais nada, vejo como relevante apresentar alguns dados referentes a essa temática. Só para termos uma noção, segundo a Rocketseat, apenas 20% das mulheres estão atuando no setor tecnológico no país, ou seja, 80% desta área prevalece a figura masculina.

Nos EUA, este índice feminino chega a 25% dos empregos em tecnologia. Fica nítido que a escolha no momento de contratar para atuar neste setor é desigual e injusto para as mulheres.

Quando sabermos que todos (homens e mulheres) possuem, sim, aptidão para para exercerem qualquer cargo, sem desmerecer nenhuma das categorias masculinas e femininas. Ainda mais se formos olhar o desemprego que é alto no nosso país.

Ao mesmo tempo, temos a área tecnológica, que se direciona contra esse olhar de desemprego, com grande acentuação empregatícia, ou seja, apresenta um alto índice na perspectiva de contratação do mercado de trabalho no Brasil.

O que se espera e que podemos refletir é para uma um olhar de equidade para as mulheres, independente do cargo e/ou função exercida.

Contudo, pode-se perceber que o seu quantitativo neste setor ainda é bem menor e, obviamente, deseja-se que mais mulheres estejam presentes nesta área ou em qualquer outra, para reduzir o gap de gênero no mercado de trabalho.

Embora ainda exista um cenário desigual, como anda, hoje, o setor tecnológica para as mulheres na T.I ?

Olha, amigo(a) leitor(a), temos uma relevante e promissora resposta para isso: Está aumentando a participação das mulheres, sim, no setor tecnológico. Veja bem, está “melhorando”, mas ainda continua com menos mulheres neste setor.

Nos últimos anos, o número de mulheres que atuam no setor de T.I está, consideravelmente, cada vez maior. De acordo com a pesquisa feita pelo “CAGED”, a presença de mulheres cresceu neste mercado de trabalho, já que foi de 27, 9 mil para 44, 5 mil em 2019.

Porém na área tecnológica aqueles 20% ainda prevalecem, o que não impede deste número se expandir. Pelo o que podemos notar pelos dados levantados, este é um cenário que estará cada vez mais oportuno e crescente as mulheres. Uma notícia excepcional!

Essa “névoa” da predominância masculina está passando, o que deixa este setor mais “otimista” e propício para a crescimento da Mulher na área de T.I.

Isso vai ficar mais claro para você ao saber da pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) que deduz que em uma década a inserção da mulher na área tecnológica no brasil deve crescer mais do que a masculina.

Esperamos que isso seja concretizado o quanto antes.

Tal pesquisa traduz um levantamento animador e pertinente para quem se identifica com ou não com a área, mas só de saber desta crescente feminina, já é motivador.

Momento promissor.

Isso mesmo, caro(a) leitor(a), conforme a pesquisa acima citada, em 10 anos, acredita-se que as mulheres estarão cada vez mais presentes em várias categorias e o setor digital não poderia ficar de fora.

Como o setor tecnológico está crescendo e mudando bastante em termos de home office com novos cursos e novas áreas, então, é lógico que as mulheres também estão fazendo parte disso.

O setor tecnológico, seja ele com ênfase em programação ou outras categorias digitais. Tudo isso reflete um aumento de mulheres na tecnologia, o que fica mais perceptível nas pesquisas.

Fica nítido o olhar promissor da área T.I e ainda mais da participação feminina, visto que a contratação de mulheres e a sua participação em cursos de graduação tecnológicos está crescendo no país e no mundo.

Pois, há tempos mais remotos, ter uma graduação era algo incomum neste cenário, e, hoje, percebemos avanços que, aos poucos, estão gerando resultados.

Contudo, existe muito o que se conquistar, com novos desafios que surgem. Espera-se que este cenário esteja cada vez mais “aberto” para as mulheres que estão contribuindo a um bom tempo com o setor tecnológico. Vamos ver alguns exemplos.

Mulheres que contribuíram para o setor tecnológico

  • Augusta Ada King criou o primeiro programa de computador, o que somou bastante para tudo o que temos hoje. Sabia que tal ação foi tão importante que, como reconhecimento disso, existe um prêmio que usa seu nome para quem se destaque nesta categoria. Que tal, vamos concorrer a ele ?;
  • Grace Hopper foi uma cientista da área da computação que contribuiu para elaborar a primeira linguagem de computação;
  • Carol Shaw conhecida como a primeira mulher a trabalhar com a elaboração de jogos digitais. Ela desenvolveu uma metodologia tão bem avaliada por muitos para construção dos jogos que é usada até hoje. Sabe quando você joga aquele game e as fases são diferentes uma da outra, ou seja, cada fase vai ficando, aos poucos, mais difícil que a outra. Pronto, foi ela que inovou com este “jeito” de passar de fases.
  • Frances Allen era uma profissional da matemática que trouxe relevantes contribuições para o setor da Ciência da Computação, mais especificamente na área de otimização de compiladores. Ela ajudou a criar, a desenvolver e aperfeiçoar códigos voltados a computação paralela. Atuou com o desenvolvimento de sistemas de segurança digitais. Seus feitos para o setor tecnológico foram tão pertinentes que ela foi a primeira mulher a receber o prêmio Turing, aos 74 ano;
  • Katherine Johnson, terminou a suas faculdades com 18 anos em matemática, francês. Foi pioneira ao ser a primeira mulher negra a fazer uma pós na universidade West Virgínia State. Seu olhar inovador a fez fazer parte, hoje, da NASA. Tal relevância foi para: o cálculo de trajetória de voo, oque contribuiu para o primeiro homem a pisar na lua. Isso é um grande feito.

Vale ressaltar que essas são umas das inúmeras mulheres que contribuíram e marcaram o nome no setor tecnológico mundial. Perceberam o quão importante foram as contribuições delas ? Imagine se elas pensassem em desistir ?

Não poderíamos falar da mulher, sem contextualizar as tantas mulheres que somaram muito para o que hoje se usa, utiliza na tecnologia e se inspirar.

Leia também: Linkedin: aprenda a montar seu perfil do zero

Como o atual cenário está sendo marcado pelas mulheres interessadas no setor tecnológico ?

Segundo uma pesquisa, publicada em 2022, do Banco Nacional de Empregos (BNE), o desejo de mulheres para ingressarem na carreira de T.I aumentou em 22%.

Este cenário está só aumentando. Pensando nisso, quanto mais ocorrer:

  • Divulgações desta área sem preferência de gênero;
  • Quanto mais ocorrer debates sobre este setor tecnológico na educação básica;
  • Websites que buscam divulgar, difundir o importante aumento das mulheres neste setor, nos últimos anos, sem deixar de falar do preconceito existente;
  • O interesse das mulheres por tecnologia que está aumentando;

Tudo isso poderá contribuir para que mais mulheres possam estar a par das novidades tecnológicas para gostarem ainda mais deste cenário de T.I. Inspirarem-se nas histórias de muitas mulheres como as que citamos acima.

Identificarem-se com cursos voltados a programação, linguagem de computação e tudo o que a internet pode possibilitar para adquirir novos conhecimentos nesta área.

Vale destacar que o mercado de trabalho tecnológico anda bem “convidativo” em termo salariais e “carente” de mão de obra qualificada. Tudo isso pode se tornar um olhar relevante para muitas mulheres buscarem ingressar na área de T.I.

Além disso, dá para percebemos que esta porcentagem feminina na tecnologia mostrada pelos dados levantados. Embora pareça “pouca”, reflete também, aliás, projeta um novo cenário que se forma, já que se mostra, cada vez mais, o olhar feminino se firmando presente e crescente nesta área.

Falando nisso, para incentivar muitas mulheres a continuarem na área tecnológica ou entrarem nela, muitas empresas participam, contribuem com projetos, programas e cursos da área.

Então, existem projetos, cursos e programas que incentivam mulheres a se familiarizarem com TI ?

Sim. Vamos conhecer alguns ?

  • PrograMaria: busca empoderar as mulheres por meio do cenário tecnológico e diminuir o gap de gênero do mercado de trabalho, além de organizar eventos na área. Site: https://www.programaria.org/ ;
  • Trybe & BHS é uma plataforma conhecida por oferecer cursos de graça sobre programação e o melhor é que não precisa de pré-requisitos para aprender;
  • Lyssa Cavalcante (Techly) É uma digital influencer, programadora voltada ao cenário tecnológica com métodos singulares e eficientes para aprender a programar em apenas 100 dias para quem não sabe de nada. Este é o link do seu instagram  site;
  • Rafaela Balerine é criadora de conteúdo de programação e tecnologia, auxilia as pessoas que querem começar na área de desenvolvimento de software. É youtuber com milhares de pessoas a seguindo, também, no Instagram. Possui uma comunidade na Ballerini em que repassa conhecimentos sobre áreas diferentes da programação. Trabalhou como instrutora front-end na Alura, uma das maiores escolas de tecnologia do Brasil. Acompanhe seu conteúdo: https://beacons.ai/rafaballerini.

Considerações finais

Por tudo isso que foi falado, reforço a necessidade de propagar-se a crescente inserção das mulheres, sim, no mercado de trabalho de T.I.

Como a internet é um excelente recurso para esta intenção, fica sempre mais “visível” para que tal ação inspire, cada vez mais, as mulheres a se “encontrarem” neste setor, sem deixar de mencionar os obstáculos recorrentes.

Portanto, falar sobre um assunto e apresentar tais dados estatísticos pode ajudar a (des)construir olhares culturais de preconceito, ou seja, mudar este pensamento ultrapassado de que este setor é apenas para a figura masculina.

Esperamos que tenham gostado e que se tenha contribuído de alguma forma para que mais mulheres se identifiquem com a área tecnológica e busquem seguir profissionalmente este setor.

Aproveito a oportunidade para convidá-lo(a)s para integrar a nossa comunidade; conhecer cada vez mais esse fascinante universo.

Mas, para isso, gostaria que você se inscrevesse na nossa newsletter que estará repleta de conteúdos como o que foi abordado. Contamos com a “presença” de vocês. Fiquem por dentro e nos acompanhem.

Referências

https://www.mindtek.com.br/2022/03/mulheres-na-tecnologia-dados-estatisticos-brasil/

https://netsupport.com.br/os-desafios-para-mulheres-na-ti/

https://portogente.com.br/noticias/transporte-logistica/114480-mulheres-em-ti-elas-representam-20-dos-profissionais-de-tecnologia-do-pais

https://olhardigital.com.br/2021/02/11/colunistas/oportunidades-em-ti-as-mulheres-podem-e-devem-participar-do-desenvolvimento-desse-mercado/

https://www.bhs.com.br/2021/08/26/mulheres-na-ti-tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-iniciar-na-area/

https://tiinside.com.br/16/12/2021/aumenta-o-numero-de-mulheres-no-mercado-de-ti/

https://www.baguete.com.br/noticias/22/12/2021/mulheres-no-ti-na-pratica-a-teoria-e-outra

https://www.agazeta.com.br/es/economia/mulheres-dao-um-drible-no-machismo-e-conquistam-espaco-no-setor-de-ti-0421

https://meunegocio.uol.com.br/blog/a-dificil-missao-de-ser-mulher-no-mercado-de-ti/

https://exame.com/bussola/mercado-de-desenvolvedores-e-desigual-e-mulheres-representam-apenas-12/

https://blog.unyleya.edu.br/bitbyte/mulheres-na-tecnologia/

https://g1.globo.com/dia-das-mulheres/noticia/2022/03/08/mulheres-ganham-em-media-205percent-menos-que-homens-no-brasil.ghtml

One thought on “Mulheres, a tecnologia pode ser o próximo passo da sua carreira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.