Carreira

As Universidades aderiram ao ensino remoto?

Tempo de leitura: 4 min
Imagem por dentro de uma universidade.

Amigo leitor, será que depois de convivermos tantos anos com a predominância do ensino presencial, existirá um “espaço” para o ensino remoto ? As universidades se incluem ?

Antes da pandemia, os centro acadêmicos de ensino superior eram mais procurados na forma presencial, contudo com a pandemia a procura pelo ensino remoto aumentou bastante.

Inclusive no ano de 2020 ( um acontecimento inusitado na educação do nosso país) a quantidade de alunos que ingressaram na faculdade pelo ensino a distância foi maior que no presencial.

Isso mesmo, meu amigo leitor, de acordo com o Censo da educação superior, o número de alunos matriculados em universidades EAD foi 2.008.979 milhão, enquanto no ensino presencial foi de 1.756.496 milhão.

Podemos deduzir pelo Censo que a demanda por aulas remotas aumentou intensamente nestes últimos anos, o que reflete que o Brasil está cada vez mais se adaptando a este setor tecnológico.

Mas a pandemia teve sua parcela de contribuição, já que muitas áreas tiveram que se reorganizar e isso não foi diferente no ensino superior.

Muitas universidades acabaram por ofertar aulas remotas para não agravar este cenário, que esteve em maior calamidade.

Essa oferta acabou apresentando novos caminhos que estão sendo adotados pelas Universidades de todo o nosso país, o que pode justificar este aumento de alunos no ensino superior EAD.

Note também que faz mais de 10 anos que, segundo o estudo feito pelo INEP, o ensino ofertado de forma remota aumentou acima de 300%, mas os cursos de forma presencial o aumento foi de 17,8%.

Vale ressaltar que, nesta última década, dos quase 8 milhões dos alunos que ingressaram na faculdade, uma parcela significativa está na modalidade EAD.

Contudo, o uso de aparelhos tecnológicos ainda não é um bem material de fácil acesso e muitos alunos que não tinham notebook usavam os das universidades, com a pandemia isso se intensificou e acarretou a defasagem de muitos alunos de baixa renda.

Muitos não tem se quer um celular, muito menos um notebook, nem acesso a internet, já que tantos faziam isso pela universidade de forma presencial e essa é uma dura e “corriqueira” realidade.

Então, a intenção deste texto não é “camuflar” esta carência tecnológica ou esconder as desigualdades sociais vigentes em nossa meio.

O foco é apresentar o aumento de cursos, aulas, universidades online com seus pós e contras (este último acabamos de destacar) e como isso é refletido no mercado de trabalho que exige esta familiarização com a tecnologia.

Nesse sentido, é notável que o ensino remoto está se firmando em meio a essa pandemia, conforme foi informado pelo CENSO (2020), e o meio acadêmico, a universidade reflete esse olhar. E o mercado de trabalho ?

Como estão sendo vistos os diplomas espedidos pelo ensino remoto ?

Veja bem, os diplomas emitidos pelas universidades remotas valem de mesma maneira que os da presencial, a única diferença é a forma como foi feita a formação do profissional que, neste caso, foi na modalidade EAD, o que não diminui a sua qualidade (mas é claro que sempre é sugerido que busquem ver a reputação, a “fama” da universidade escolhida para não correr o risco).

O conhecimento também é tão válido quanto do ensino presencial, o que vai diferenciar é o seu desejo.

As empresas contratam tanto os profissionais formados pela presencial, quanto pela remota, já que o quesito “ensino superior remoto” não é um fator crucial, o que é necessário é se formar e estar apto para as demandas vigentes: isso implica um adequado domínio dos recursos tecnológicos.

Veja bem… adaptar-se a este cenário digital o faz estar um passo a frente de muitos.

Leia também: Curso online, realmente, valem a pena?

Você saberia me dizer quais são as habilidades ou requisitos que as empresas procuram no funcionário ? Como a universidade remota pode elevar e suprir essa carência ?

Vou ser objetivo com você: as empresas querem profissionais que saibam se adaptar ao seu ritmo de trabalho, perfil e filosofia de pensamento.

Como o mercado de trabalho está bem “amigo” da tecnologia, ou seja, também está acompanhando este cenário.

Podemos entender que as universidade com a modalidade a distância aproximam mais os profissionais que estão mais adaptados a estas tecnologias.

Um exemplo disso é que esta modalidade EAD no ensino superior, provavelmente, utiliza de ferramentas tecnológicas como Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) muito utilizada para postar aulas, materiais e acessar as mais variadas metodologias ativas que podem ser ofertadas.

Seguindo esse pensamento, você acredita que uma empresa irá achar mais “atrativo” contratar um estudante que já tem domínio destas novas tecnologias e está a par de tudo o que ocorre neste meio digital ou um profissional que não tem tanta familiaridade e por isso poderia precisar fazer uma capacitação, treinamento sobre o uso destas ferramentas digitais?

Como o mercado de trabalha anda cada vez mais concorrido e buscando profissionais “aliados” dos ambientes digitais, ter algum “diferencial” pode se tornar um aspecto fundamental para ser contratado.

Fazer uma faculdade de forma remota poderá ajudar a conquistar essa vaga em um mercado cada vez mais tecnológico.

É importante destacar que não quero dizer que o ensino remoto é a melhor opção, mas (diante do nosso contexto de pandemia e aumento de oportunidades neste setor tecnológico) cursar uma universidade remota pode, veja bem, “pode” ser um diferencial que a empresa também está a buscar.

Até porque você terá uma autonomia no tempo que o ajudará muito na gestão e organização do dia a dia para concluí-lo e terá uma maior facilidade para fazer pesquisas na internet e com isso este profissional poderá enfrentar os desafios desta carreira com maior segurança.

Podemos notar que, segundo os levantamentos feitos pelo INEP, o ensino remoto está em alta, em 2020 teve um recorde ainda não visto no Brasil, o que nos faz perceber que continua a conquista muitos. Isso não quer dizer que a modalidade EAD irá substituir o presencial, tudo é uma questão subjetiva e financeira.

Aproveito a oportunidade para convidá-lo(a)s para integrar a nossa comunidade; conhecer cada vez mais esse fascinante universo. Mas, para isso, gostaria que você se inscrevesse na nossa newsletter que estará repleta de conteúdos como o que foi abordado. Contamos com a “presença” de vocês. Fiquem por dentro e nos acompanhe.

Salve galera, até a próxima!

Fontes utilizadas para a pesquisa:

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2022/02/18/mais-alunos-entraram-na-universidade-pelo-ensino-a-distancia-do-que-em-cursos-presenciais-em-2020.ghtml

https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/10/23/em-10-anos-quase-quadruplica-numero-de-alunos-que-entram-no-ensino-superior-e-optam-pela-educacao-a-distancia-diz-inep.ghtml

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/06/01/oferta-e-procura-por-faculdades-a-distancia-aumentam-no-pais.ghtml

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.