Carreira, Programação

Dicas para iniciantes no mercado tecnológico.

Tempo de leitura: 8 min
Notebook com gráficos
Notebook com gráficos

Salve galera, vamos iniciar mais uma conversa acerca da temática de programação.

Considerações iniciais

A princípio, o caminho percorrido, para se alcançar o emprego dos sonhos, irá exigir muito de nós. Não é “fácil” como muitos tentam afirmar. Podemos fazer uma comparação com uma escalada no monte. Por que esse exemplo? Simples.

Para se escalar, é exigido técnicas e habilidades dos alpinistas. Precisa se delas para superar este desafio. E, com certeza, programar é uma ação que requer isso ao resolver os problemas, criar as funções pedidas pelas empresas, por exemplo. Então, precisamos estar aptos para superar tais obstáculos.

Por isso a comparação com a escalada, pois é necessário que tenhamos desenvolvido as habilidades e técnicas adequadas para fazer aquele comando específico de programação e entre outras situações que surgem para nós, programadores. Nesse sentido, a ideia é não desistir dos seus sonhos.

Viu ? É uma escalada e tanto. Mas saiba de um fato incontestável: quando você chega no topo da montanha e vê aquele deslumbrante cenário, aquela paisagem. Você vai entender que a caminha ou escalada valerá muito a pena.

A recompensa de chegar ao topo fará com que todo o trabalho feito sirva de referências para muitos se inspirarem na sua trajetória. Além de toda a bagagem de novos conhecimentos, experiências que você conquista com o seu suor.

Vou ser mais direto com você: não é fácil entrar na área, mas, para quem não desiste dela, vale muito investir. Precisa manter foco e não desistir, tudo depende só de você. Continuando com a comparação da escalada, não esqueça que, quando começamos a escalar, não colocamos a mochila cheia de ferramentas.

Na verdade, começamos com um passo de cada vez para assim chegar ao topo do monte. Com a programação não é diferente. Aprendemos aos poucos, mas na intenção de sermos produtivos no que fazemos e com isso aprimorarmos nossas habilidades e começamos a “encher” a nossa “mochila” da vida com vivências e aprendizagens ocasionadas pela programação.

Mas não vamos iludir e dizer que é tudo “facim”. Reforço mais uma vez que esta área é crescente, o que faz muitas empresas contratarem quem for da área.

Por isso estou escrevendo este artigo para mostrar alguns pontos que considero importante para quem deseja ingressar ou já ingressou neste setor tecnológico. Vamos conhecer ?

Leia também: Qual a melhor linguagem para começar a Programar?

Dificuldades e potencialidades encontradas na área de T.I.

A primeira dificuldade encontrada é para o pouco número de pessoas formadas na área. Em outras palavras, na mesma proporção, no mesmo grau de exigência que se aumenta a procuração pela área de T.I. também é exigido formação básica para atuar na área. Por isso sugiro que sempre busquemos nos especializar, fazer cursos, assistir aulas de programação por exemplo, no youtube, workshops, paletras.

Por isso, é indicado estudar cada vez mais afundo a área, para que assim possamos acompanhar o crescimento do setor e ao mesmo tempo termos um diferencial para não sermos “ultrapassados” pela concorrência. Como sabemos, quanto mais conhecimento técnico, melhor.

Saiba que as empresas buscam profissionais que saibam analisar; ter estratégias para resolver problemas de softwares e um bom domínio em banco de dados. Esse é um perfil que muitas startups ou empresas gostam.

Jogue junto com a empresa

Uma segunda dificuldade a ser discutido é saber entender quais são as características da empresa para que você possa apresentar novos olhares, novas estratégias que ajudem a expandir o negócio da empresa que você atua.

Então, além de programar, é interessante você se adaptar ao perfil da empresa para que, junto com os demais colegas (ninguém faz nada sozinho), possam potencializar ainda mais a empresa. Com isso, você pode perceber lacunas que não foram vistas antes.

É mais um olhar estratégico, mas isso não é obrigado você saber. É apenas uma sugestão que pode “alavancar” seu desenvolvimento na empresa em que trabalha.

Planos de carreiras

Uma terceira dificuldade encontrada é para observar que, antes de aceitar o emprego, pense no plano de carreira sugerido pela empresa, pois da mesma maneira que o grau de demanda e exigências aumenta, o profissional também tem que ver o que é melhor para ele(a).

Os dois (profissional e empresa) precisam ser beneficiados. Por isso, analise bem as propostas e “direitos” que você terá, caso aceita o emprego.

Pode ser demorado, mas é recompensador

A quarta dificuldade é que geralmente a forma de contratação é lenta, exaustiva e passa por muitas etapas. Existem casos em que a contratação ocorre de forma rápida, mas não há como generalizar. Por isso, saiba que “poderá” existir momentos em que o processo de aprovação na empresa demore e faz parte.

Formações buscadas pelas empresas

A quinta dificuldade envolve o setor tecnológico que possui diversas formações profissionais e algumas, vejam bem, são algumas, que são mais buscadas. Vale destacar que não estamos apresentando um pensamento reducionista, em que só estes cursos é que são “bons”, não é isso.

O que irei mostrar é apenas um olhar para alguns cursos que são mais procurados pelas empresas de modo geral. Que são:

  • Desenvolvedor de software

Sabe quando você acessa o seu celular, liga seu computador e nele existem programas ou você os baixa para rodar no seu aparelho.

Então, o programador de software é responsável por isso. Estou falando de forma bem generalizada, para não perdemos o foco da leitura do texto. Esse desenvolvedor de software também é chamado de programador. O que faz um programador ?

Grosso modo, desenvolve programas de celular, computador, videogames e aparelhos tecnológicos, entre outros.

Ele(a) faz isso por intermédio de criação de comandos e códigos que o ajudam no desenvolvimento dos softwares e usam várias linguagens como html, java, C++ e outras. Ou seja, é um profissional buscado por muitas empresas, já que a criação de programas atende ao perfil de muitas que usam o setor tecnológico.

  • Segurança da informação

Sabe aquele(a) profissional que zela pela segurança do que circula na internet, ele se preocupa em proteger as informações que são disponibilizadas em bancos digitais, dados e informações pessoais.

É uma área crescente, já que muitos fazem cadastros em websites e precisam ter esse sigilo. É um setor que ajuda a prevenir que hackers entrem na conta. Está sendo procurado por muitas empresas.

  • QA (Quality Analyst)

Antes de mais nada, vejo como importante explicar o que significa a abreviação “QA” que é “Quality Analyst”, mas sua tradução em português é Analista de Qualidade.

Pelo próprio nome podemos deduzir que este profissional atua em um setor direcionado à qualidade do produto, ou seja, ele tem como objetivo verificar se aquele produto “A” entregado ao consumidor é de qualidade ou possui falhas, erros, bugs na seu desenvolvimento.

Isso mesmo, ele(a) faz testes para ver se encontra algum “problema” no que vai ser ofertado. Por isso este profissional precisa ter um conhecimento vasto acerca de tecnologia para que assim possa ajudar na qualidade do produto analisado.

Muitas empresas estão contratando cada vez mais estes profissionais de “Q,A”. Justamente por entenderem que os clientes não querem produtos com “falhas”.

Então é a vez destes profissionais fazerem a diferença na empresa, bem como na qualidade apresentada do produto digital.

  • SRE (Site Reliability Engineering)

Você gosta de ter contato com plataformas digitais seguras ? Saiba que existem profissionais que cuidam da infraestrutura de sites que você acessa.

Os profissionais que atuam em SRE (Site Reliability Engineering) tem como um dos objetivos prevenir qualquer instabilidade no software, ao trazer confiança no seu acesso e agilidade no seu comando, na movimentação do site, por exemplo.

Elabora automatizações, ou seja, faz com que a própria ferramenta digital, neste caso o software, seja capaz de fazer autocorreções quando o site desestabilizar.

Tudo isso é feito antes (preferencialmente) para que o cliente ao acessar o site não tenha qualquer chateação com o site, mas este profissional pode atuar após um possível erro, mesmo depois de o cliente acessar.

É por isso que espera-se agilidade e praticidade do SRE na hora de se executar tais ações para melhorar, quando é acessado, a agilidade do site .

Softwares personalizados

A sexta lacuna encontrada é a tendência para criação de softwares personalizados. Este tipo de ação está se expandindo e muitas empresas gostam que os programadores criem softwares personalizados que atenda às necessidades e demandas daquela empresa que o contratou.

Então, a ideia é facilitar as atividades internas da empresa, ou seja, ele é produzido para que os objetivos escolhidos pela aquela empresa possam ser mais “facilmente” cumpridos por todos que nela trabalham. Tudo é feito em prol de melhorias para a empresa.

Olha que interessante: muitas empresas ainda usam programas mais genéricos, comuns, gerais, ou seja, todos tem acesso. Isso faz com que muitas empresas acabem tendo o “mesmo” resultado. Seguindo este raciocínio, faço a você uma pergunta: Não seria interessante ter um diferencial ou seria mais “cômodo” fazer o que todos fazem?

Essa ideia de aplicativos personalizados é tão motivadora que contribui de forma interna, ou melhor, para melhorar a interação entre os colaboradores, como também de forma externa, já que é um forma de apresentar um programa personalizado ao público, aos consumidores.

Isso faz com que os consumidores se aproximem, ou melhor, chame mais atenção deles. Com isso, podemos entender melhor a identidade da empresa, além de nos ajudar a criar esse “laço” mais próximo com os consumidores.

Tendências: Soft Skills

Para falar da sétima lacuna, antes, vou começar falando deste ponto de forma diferente: assim como no mundo da moda, existem “tendências” digitais que vieram para ficar?

Sim, existem modalidades como machine learning e ciência de dados que chegaram com uma projeção positiva para este setor tecnológico, sem deixar de lado o desenvolvimento de software.

Quero dizer que existem linguagens que podem suprir a demanda de muitas empresas, desde que você as domine, como JavaScript, Python, PHP, Java.

Mas de que adiante ter toda formação e domínio prático e não possuir soft skills ?

Isso mesmo, amigo(a) leitor(a), ter um bom envolvimento com os parceiros de equipe está, a cada dia, se tornando um aspecto fundamental para que se tenha um ambiente de trabalho favorável e um notável destaque na empresa.

Até mesmo porque isso ajudará a ter uma melhor relação com qualquer colaborador, empregado, chefe. Tudo o que contribuir para facilitar a interação entre os funcionários na empresa é recomendado, pois isso irá ajudar a fluir melhor a comunicação entre os colegas de trabalho.

Veja bem, melhorar a comunicação não é jogar conversa fora, mas sim praticar empatia pelo outro, entender como eu posso te ajudar, isso mesmo, como você pode ajudar o outro, o seu colega de trabalho a melhorar cada vez mais.

Ou melhor, ter esse comportamento ajudará o seu colega de trabalho a aprimorar as suas potencialidades e a melhorar as suas lacunas, o que refletirá diretamente nos resultados da empresa e ao mesmo tempo nos rendimentos dos seus funcionários.

Até porque muitos que trabalham na empresa podem não ter todo um domínio técnico e profundo que você tenha, então, se você consegue se comunicar de forma objetiva, simples para acontecimentos complexos na programação ou explicar de forma prática um comando ou ação mais difícil. Isso já é um soft skills.

Você já tem um diferencial, uma boa interação com a empresa e seus colegas de trabalho. Quem é que não gosta de estar em um ambiente de trabalho em que se pode aprender de forma simples e motivadora.

Aprenda Idiomas

A oitava lacuna é aprender um novo idioma. Você já viu que os melhores programas são em inglês, então, já sabemos que ter um entendimento básico dessa língua é indispensável para se utilizar alguns programas da área. Mas saber uma outra língua como o espanhol, francês, torna-se um grande diferencial para o seu currículo ao deixá-lo mais atrativo para a empresa.

Considerações finais

Essas dicas são apenas sugestões para você que busca “incrementar” seus conhecimentos na área, além de repassar algumas lacunas que estão neste setor e já foram abordadas nos parágrafos anteriores. É um preparação para você que deseja entrar na área. Como vimos é um setor promissor e bem atrativo.

Esperamos que estas dicas contribuam de alguma forma na sua carreira de programador.

Aproveito a oportunidade para convidá-lo(a)s para integrar a nossa comunidade; conhecer cada vez mais esse fascinante universo.

Mas, para isso, gostaria que você se inscrevesse na nossa newsletter que estará repleta de conteúdos como o que foi abordado. Contamos com a “presença” de vocês. Fiquem por dentro e nos acompanhem.

Referências:

https://blog.empregare.com/contratacao-de-profissionais-de-ti/#:~:text=Nos

https://blog.betrybe.com/carreira/mercado-de-ti/

https://coodesh.com/blog/candidates/carreiras/pessoa-qa-o-que-faz-e-qual-a-sua-importancia/

https://gerencianet.com.br/blog/site-reliability-engineering-sre-qual-a-funcao-em-uma-empresa/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.